Rede de Bibliotecas Municipais de Oeiras

Vista normal Vista MARC Vista ISBD

Desencontros / Jimmy Lioa

Autor principal: Jimmy Liao, 1958- Idioma: por ; da obra original, Inglês.País: Portugal.Publicação: Matosinhos : Kalandraka, 2014Descrição: [132] p. : muito il.ISSN: 9789897490262.Coleção: Livros para sonharResumo: «… Ela vive num velho bloco de apartamentos num bairro dos arredores da cidade. Sempre que sai, onde quer que vá, vira sempre à esquerda. Ele vive num velho bloco de apartamentos num bairro dos arredores da cidade. Sempre que sai, onde quer que vá, vira sempre à direita…» Tão real como a própria vida, “Desencontros” é a história de duas personagens solitárias, com um certo vazio existencial, que, apesar de viverem separadas apenas por uma parede, não se conhecem e nunca se cruzam. A dupla estrutura narrativa e visual desta obra assenta, por um lado, num registo diarístico emocional e meteorológico, que se complementa com a presença de uma voz omnisciente, muito sensível; e, por outro, numa sucessão de ilustrações panorâmicas, em formato de vinheta, que, em determinadas passagens da narrativa, chegam a combinar cenas paralelas numa construção semelhante à do cinema ou da novela gráfica. Os leitores assistem ao encontro entre os dois protagonistas: um verdadeiro amor à primeira vista, mas infelizmente tão fugaz quanto efémero. A impossibilidade de se voltarem a encontrar, determinada por um acaso infeliz, a incerteza, a tristeza ou a resignação são as etapas seguintes que ambos percorrem numa peripécia vital, que se poderia resumir na expressão “tão longe mas tão perto”. Tudo isto até um desenlace inesperado que o autor deixa em aberto, submetendo-o à interpretação do leitor. Através deste drama quotidiano sobre a busca da felicidade, Jimmy Liao tece também uma reflexão sobre a rotina, o individualismo e o isolamento das pessoas num grande centro urbano, com recurso a um tom poético e melancólico, próximo e introspetivo, a par de abundantes paralelismos literários. A nível artístico, as imagens realistas mesclam-se com poderosas metáforas visuais, numa linguagem simbólica plena de referências pictóricas e arquitetónicas, onde a marca da passagem do tempo, através da mudança das estações, está sempre presente.Assunto - Nome comum: Literatura -- Outros géneros -- [Publicações infantis]
Etiquetas desta biblioteca: Sem etiquetas desta biblioteca para este título. Iniciar sessão para acrescentar etiquetas.
    classificação média: 0.0 (0 votos)
Tipo de documento Localização Cota Estado Data de devolução Código de barras Reservas
Texto Texto Biblioteca Municipal de Algés
Sala Infantil
I-LIT OUT-GEN JIM (Ver prateleira) Emprestado 27/12/2018 020202565
Total de reservas: 0

Turn right

«… Ela vive num velho bloco de apartamentos num bairro dos arredores da cidade. Sempre que sai, onde quer que vá, vira sempre à esquerda. Ele vive num velho bloco de apartamentos num bairro dos arredores da cidade. Sempre que sai, onde quer que vá, vira sempre à direita…»

Tão real como a própria vida, “Desencontros” é a história de duas personagens solitárias, com um certo vazio existencial, que, apesar de viverem separadas apenas por uma parede, não se conhecem e nunca se cruzam. A dupla estrutura narrativa e visual desta obra assenta, por um lado, num registo diarístico emocional e meteorológico, que se complementa com a presença de uma voz omnisciente, muito sensível; e, por outro, numa sucessão de ilustrações panorâmicas, em formato de vinheta, que, em determinadas passagens da narrativa, chegam a combinar cenas paralelas numa construção semelhante à do cinema ou da novela gráfica.
Os leitores assistem ao encontro entre os dois protagonistas: um verdadeiro amor à primeira vista, mas infelizmente tão fugaz quanto efémero. A impossibilidade de se voltarem a encontrar, determinada por um acaso infeliz, a incerteza, a tristeza ou a resignação são as etapas seguintes que ambos percorrem numa peripécia vital, que se poderia resumir na expressão “tão longe mas tão perto”. Tudo isto até um desenlace inesperado que o autor deixa em aberto, submetendo-o à interpretação do leitor.
Através deste drama quotidiano sobre a busca da felicidade, Jimmy Liao tece também uma reflexão sobre a rotina, o individualismo e o isolamento das pessoas num grande centro urbano, com recurso a um tom poético e melancólico, próximo e introspetivo, a par de abundantes paralelismos literários.
A nível artístico, as imagens realistas mesclam-se com poderosas metáforas visuais, numa linguagem simbólica plena de referências pictóricas e arquitetónicas, onde a marca da passagem do tempo, através da mudança das estações, está sempre presente

Não há comentários disponíveis sobre este título.

Entre na sua conta para publicar um comentário.

Clicar numa imagem para a ver no visualizador de imagens

© 2010-2018 Município de Oeiras

Certificação de Qualidade Câmara Municipal de Oeiras