Rede de Bibliotecas Municipais de Oeiras

Vista normal Vista MARC Vista ISBD

Rapazes de zinco / Svetlana Alexievich ; trad. Galina Mitrakhovich

Autor principal: Alexievich, Svetlana, 1948-Autor secundário: Mitrakhovich, Galina, TradutorIdioma: por.País: Portugal.Publicação: Amadora : Elsinore, 2017Descrição: 343 p.ISBN: 9789898864000.Resumo: Autora vencedora do Prémio Nobel de Literatura «Pela sua escrita polifónica, um monumento ao sofrimento e à coragem na nossa época.» De 1979 a 1989, o exército soviético combateu o Afeganistão, uma guerra que gerou cerca de quinze mil mortos e mais de quatrocentos e cinquenta mil feridos e doentes, atingindo profundamente toda uma geração. Alvo de contestação e polémica na União Soviética por altura da sua publicação, acusado por críticos de ser «uma fantasia carregada de mentiras» e parte de «um coro histérico de ataques perversos», "Rapazes de Zinco" oferece um testemunho sentido e afetuoso dos soldados, enfermeiras, mães, filhos e filhas que viveram a guerra e os seus efeitos devastadores. Nestas páginas revela-se uma história de brutalidade e mentira, próxima da experiência norte-americana no Vietname, marcada simbolicamente pelos caixões de zinco usados para transportar os mortos para casa, perante uma União Soviética que negava o horror e a destruição causados pela guerra. Recorrendo, como é sua marca, às vozes dos entrevistados, à eloquência e silêncio de um coro polifónico, espelho da realidade, Svetlana Alexievich mostra-nos a verdade acerca da guerra soviética no Afeganistão: a beleza do país contrastando com a violência do exército, a morte, a entrada em força do Ocidente no território e as vidas destruídas dos veteranos de guerra, toldados pela vergonha. Uma visão única, lúcida e poderosa da realidade da guerra.Audiência: ADULTO.Assunto - Nome geográfico: URSS (Jur. pass.) -- Guerra do Afeganistão -- 1979-1989
Etiquetas desta biblioteca: Sem etiquetas desta biblioteca para este título. Iniciar sessão para acrescentar etiquetas.
    classificação média: 4.5 (2 votos)
Tipo de documento Localização Cota Estado Data de devolução Código de barras Reservas
Texto Texto Biblioteca Municipal de Algés
Sala de Adultos - Não Ficção
HIS-PAI RUSSIA ALE (Ver prateleira) Disponível 020194999
Texto Texto Biblioteca Municipal de Oeiras
Sala de Adultos
HIS-PAI RUSSIA ALE (Ver prateleira) Emprestado 27/12/2018 010200006
Total de reservas: 0

Tsinkovye maltchiki

Autora vencedora do Prémio Nobel de Literatura «Pela sua escrita polifónica, um monumento ao sofrimento e à coragem na nossa época.» De 1979 a 1989, o exército soviético combateu o Afeganistão, uma guerra que gerou cerca de quinze mil mortos e mais de quatrocentos e cinquenta mil feridos e doentes, atingindo profundamente toda uma geração. Alvo de contestação e polémica na União Soviética por altura da sua publicação, acusado por críticos de ser «uma fantasia carregada de mentiras» e parte de «um coro histérico de ataques perversos», "Rapazes de Zinco" oferece um testemunho sentido e afetuoso dos soldados, enfermeiras, mães, filhos e filhas que viveram a guerra e os seus efeitos devastadores. Nestas páginas revela-se uma história de brutalidade e mentira, próxima da experiência norte-americana no Vietname, marcada simbolicamente pelos caixões de zinco usados para transportar os mortos para casa, perante uma União Soviética que negava o horror e a destruição causados pela guerra. Recorrendo, como é sua marca, às vozes dos entrevistados, à eloquência e silêncio de um coro polifónico, espelho da realidade, Svetlana Alexievich mostra-nos a verdade acerca da guerra soviética no Afeganistão: a beleza do país contrastando com a violência do exército, a morte, a entrada em força do Ocidente no território e as vidas destruídas dos veteranos de guerra, toldados pela vergonha. Uma visão única, lúcida e poderosa da realidade da guerra

ADULTO

Comentado por Karine K.
31/05/2018

Já li esse livro e é muito bom. A autora é excelente em compilar e escrever a realidade vivida pelos entrevistados, realidade dura e inacreditável. Como pode ser possível tamanha atrocidade e descaso? Recomendo, embora após lê-lo levemos tempo para recuperar-nos emocionalmente.

Entre na sua conta para publicar um comentário.

Clicar numa imagem para a ver no visualizador de imagens

© 2010-2018 Município de Oeiras

Certificação de Qualidade Câmara Municipal de Oeiras