Rede de Bibliotecas Municipais de Oeiras

Vista normal Vista MARC Vista ISBD

O que vejo e não esqueço / Catarina Furtado

Autor principal: Furtado, Catarina, 1972-Idioma: por.País: Portugal.Menção da edição: 2ª ed.Publicação: A Esfera dos Livros, 2015, LisboaDescrição: 245 p. : fot.ISBN: 9789896266974.Resumo: Um livro inspirador que nos envolve na importância da solidariedade e nos convoca para o mundo do voluntariado. «Já me perguntaram muitas vezes, ao longo destes quase 25 anos de carreira como comunicadora, de onde vem esta minha preocupação com os outros, esta inquietação. Costumo responder que terá nascido comigo e que cresceu por força das pessoas e dos momentos que mais me marcaram, alguns dos quais decidi agora partilhar convosco. Seja como for, a verdade é que estou absolutamente convencida de que a minha passagem por esta vida tem um propósito muito claro: apoiar quem mais precisa. Tornei-me voluntária, desenvolvendo acções de solidariedade em Portugal e pelo mundo inteiro, quando aceitei a missão de ser Embaixadora de Boa Vontade do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA), porque acredito, com muita força, no poder de cada um de nós para modificar o que está mal. Tem sido a partir dessa certeza que me movo e sustento todas as minhas iniciativas assumindo um compromisso muito sério com as causas que defendo. Um compromisso de cidadania. Este livro não é excepção. Através destas páginas, sensibilizando, inspirando e informando, regresso ao passado e partilho o meu percurso enquanto cidadã, voluntária e documentarista, convicta de que, desta maneira irei tocar mais pessoas que podem efectivamente contribuir para fazer deste mundo um lugar melhor, mais sustentável e onde cada pessoa conte. São vários os casos de injustiça, de violação dos direitos humanos, mas também de esperança, que testemunhei ao longo dos anos e que aqui revelo. Muitos dizem respeito a mulheres, raparigas, crianças, porque são elas as maiores vítimas das desigualdades sociais, da discriminação com base no género, da violência e da falta de escolhas. Relatei-os sem quaisquer pretensões literárias, mas com uma enorme vontade de chegar ao lugar exacto onde a transformação acontece: o nosso coração.» .Assunto - Nome de pessoa: Furtado Catarina Embaixadora de Boa Vontade do Fundo das Nações para a População -- [Testemunhos]
Etiquetas desta biblioteca: Sem etiquetas desta biblioteca para este título. Iniciar sessão para acrescentar etiquetas.
    classificação média: 0.0 (0 votos)
Tipo de documento Localização Cota Estado Data de devolução Código de barras Reservas
Texto Texto Biblioteca Municipal de Oeiras
Sala de Adultos - Não Ficção
DIR-CID CID FUR (Ver prateleira) Disponível 010184842
Total de reservas: 0

Um livro inspirador que nos envolve na importância da solidariedade e nos convoca para o mundo do voluntariado. «Já me perguntaram muitas vezes, ao longo destes quase 25 anos de carreira como comunicadora, de onde vem esta minha preocupação com os outros, esta inquietação. Costumo responder que terá nascido comigo e que cresceu por força das pessoas e dos momentos que mais me marcaram, alguns dos quais decidi agora partilhar convosco. Seja como for, a verdade é que estou absolutamente convencida de que a minha passagem por esta vida tem um propósito muito claro: apoiar quem mais precisa. Tornei-me voluntária, desenvolvendo acções de solidariedade em Portugal e pelo mundo inteiro, quando aceitei a missão de ser Embaixadora de Boa Vontade do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA), porque acredito, com muita força, no poder de cada um de nós para modificar o que está mal. Tem sido a partir dessa certeza que me movo e sustento todas as minhas iniciativas assumindo um compromisso muito sério com as causas que defendo. Um compromisso de cidadania. Este livro não é excepção. Através destas páginas, sensibilizando, inspirando e informando, regresso ao passado e partilho o meu percurso enquanto cidadã, voluntária e documentarista, convicta de que, desta maneira irei tocar mais pessoas que podem efectivamente contribuir para fazer deste mundo um lugar melhor, mais sustentável e onde cada pessoa conte. São vários os casos de injustiça, de violação dos direitos humanos, mas também de esperança, que testemunhei ao longo dos anos e que aqui revelo. Muitos dizem respeito a mulheres, raparigas, crianças, porque são elas as maiores vítimas das desigualdades sociais, da discriminação com base no género, da violência e da falta de escolhas. Relatei-os sem quaisquer pretensões literárias, mas com uma enorme vontade de chegar ao lugar exacto onde a transformação acontece: o nosso coração.»

Não há comentários disponíveis sobre este título.

Entre na sua conta para publicar um comentário.

Clicar numa imagem para a ver no visualizador de imagens

© 2010-2018 Município de Oeiras

Certificação de Qualidade Câmara Municipal de Oeiras