Rede de Bibliotecas Municipais de Oeiras

Vista normal Vista MARC Vista ISBD

A bibliotecária de Auschwitz / Antonio G. Iturbe ; trad. Mário Dias Correia ; rev. Fernanda Fonseca

Autor principal: Iturbe, Antonio G., 1967-Autor secundário: Tradutor, Correia, Mário DiasIdioma: por.País: Portugal.Publicação: Lisboa : Civilização, 2013Descrição: 383 p.ISBN: 9789896574321.Classificação Decimal Dewey (CDD): 82-3, med, porResumo: Auschwitz-Birkenau, o campo do horror, infernal, o mais mortífero e implacável. E uma jovem que teima em devolver a esperança. Sobre a lama negra de Auschwitz, que tudo engole, Fredy Hirsch ergueu uma escola. Num lugar onde os livros são proibidos, a jovem Dita esconde debaixo do vestido os frágeis volumes da biblioteca pública mais pequena, recôndita e clandestina que jamais existiu. No meio do horror, Dita dá-nos uma maravilhosa lição de coragem: não se rende e nunca perde a vontade de viver nem de ler porque, mesmo naquele terrível campo de extermínio nazi, «abrir um livro é como entrar para um comboio que nos leva de férias».Assunto - Nome de pessoa: Kraus Dita -- [Romances históricos] Assunto - Nome comum: Campo de concentração de Auschwitz (Polónia) -- [Romances históricos] | Biblioteca de Auschwitz -- [Romances históricos] Lista(s) em que este item aparece: Romance Histórico
Etiquetas desta biblioteca: Sem etiquetas desta biblioteca para este título. Iniciar sessão para acrescentar etiquetas.
    classificação média: 0.0 (0 votos)
Tipo de documento Localização Cota Estado Data de devolução Código de barras Reservas
Texto Texto Biblioteca Municipal de Oeiras
Sala de Adultos - Ficção
ROM ROM-EST ITU (Ver prateleira) Disponível 010177692
Total de reservas: 0

Auschwitz-Birkenau, o campo do horror, infernal, o mais mortífero e implacável. E uma jovem que teima em devolver a esperança. Sobre a lama negra de Auschwitz, que tudo engole, Fredy Hirsch ergueu uma escola. Num lugar onde os livros são proibidos, a jovem Dita esconde debaixo do vestido os frágeis volumes da biblioteca pública mais pequena, recôndita e clandestina que jamais existiu. No meio do horror, Dita dá-nos uma maravilhosa lição de coragem: não se rende e nunca perde a vontade de viver nem de ler porque, mesmo naquele terrível campo de extermínio nazi, «abrir um livro é como entrar para um comboio que nos leva de férias»

Não há comentários disponíveis sobre este título.

Entre na sua conta para publicar um comentário.

Clicar numa imagem para a ver no visualizador de imagens

© 2010-2018 Município de Oeiras

Certificação de Qualidade Câmara Municipal de Oeiras